quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O Louco


Imagem (O Louco - Tarô Mitológico):http://www.oficinadaalma.com.br/taro/galeria/index.htm

- Sou um nada sem forma nem vontade, mas repleto de possibilidades! - grita O Louco, ofuscado pela luz matinal, inebriado pelo ar fresco, dançando aos sons que se misturam...
Ao se lançar à desafiadora e sedutora jornada da vida O Louco, despojado de tudo, sem preconceitos nem expectativas está apto a qualquer aventura. Ele se lança à vida como se estivesse se lançando a um precipício.

Corajoso – não! - mais que isso! entregue, impulsivo, imprudente! Só sendo O Louco sentiremos a vida pulsante, o instinto maior que a razão, o querer maior que o dever.

Todos já fomos Loucos, senão muitas, ao menos uma vez nessa vida. Quando aceitamos o desafio de chegar a essa vida, como o recém nascido, ávido por viver, faminto, em busca de calor e alimento, só conhecendo sua própria NECESSIDADE.

Sem loucura não há fecundação, impulso nem vida.

Lembremos de ser novamente Loucos, sempre que a vida pesar, que a bagagem se tornar desnecessária ou duvidosa. O Louco não carrega peso, ele joga as malas fora, ele se despe e flutua, voa, alcança. O Louco não planeja, não almeja, ele salta, ele faz, ele É!

O Louco, sorri malicioso, gargalha ousado, grita sem pudor. Por isso chamamos de Louco tudo o que não sabemos ou não podemos entender, explicar, negando nossa própria e natural loucura.

Sejamos Loucos, mais que uma vez, mais do que para nascer, para renascer, muitas e muitas vezes, fazendo assim a roda girar, a vida fluir, a loucura seguir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário